terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Poemas de Norma Fig

Seguem dois poemas de autoria da minha mãe, o primeiro é dedicado ao célebre Severino e o outro demonstra quão profunda é a alma dos poetas...
Si Fig


Severino, meu bichinho!
A Rosane te cantou em prosa e verso.

Que tu é cabra macho, veio do nordeste a pé. Eu fico imaginando a tua odisséia, um frangotinho ainda imberbe,

Se aventurar pela caatinga, enfrentar perigos inauditos:

Como onça pintada, sucuri na hora de beber água, e ainda o carcará malvado que pega, mata e come!

É meu bichinho...

Você é um sobrevivente, e que sobrevivente!

Daqueles como dizia meu marido nordestino:

Mata a cobra e mostra o pau, pensam que é mole,

o cabra tem que ser muiiito macho gente !!!!

Só que Severino nunca imaginou cair no gosto do povo,

das mulheres muito mais, deve ser o instinto materno,

ou então, meu bichinho, você é o Máximo.

Mostra pra eles Severino !!!!!!

Norma Figueredo

Foto: Norma Fig

Eu viajante de mim!

Venho de todos os tempos desde o primeiro dia da criação.

Sou criatura do criador.

Dos lugares por onde andei, trago as marcas no corpo.


Na alma, as sensações

Do mar do primeiro dia sinto, ainda na boca,

o gosto de sal

Revejo as ondas quebrando na praia,

A espuma branca e suave se esparramando

Na areia como o carinho do amado num gesto de amor!


Voei nas asas do vento até o topo do mundo.

Senti congelar meu corpo nas montanhas das neves eternas

Vi o ninho da águia lá em cima no penhasco

Andei por vales e canhadas, feri os pés nos espinhos

Ainda me lembro...

Vaguei pelas campinas em flor, e ao som do vento,

bailei com as borboletas azuis...

E por fim extasiada com tanta beleza,

entre as flores adormeci...

Dos lugares por onde andei, trago as marcas no corpo e, na alma uma certeza:

viver é a maior sensação!


Norma Figueredo

4 comentários:

Anônimo disse...

Nossa que inspiração hein!!!, muito lindo.

Anônimo disse...

Puxa Dona Norma,
Muito lindos os poemas, o Severino como sempre a estrela do blog. Amei "Eu viajante de mim", beijo carinhoso pra senhora, Rosane Arostegui.

Laura Figueiredo disse...

Vó Norma sempre nos surpreendendo... Adorei os poemas!
Beijos da neta, Laura Figueiredo.

José Adilson disse...

Gostei muito,principalmente de "Eu viajante de mim". Que bela combinação de sabedoria e inspiração.
Sinceros cumprimentos.
Adilson